Fonte: http://static.howstuffworks.com

  

Em 2006, os níveis de gás carbônico na atmosfera bateram mais um recorde: a Organização Meteorológica Mundial (OMM) indica que a concentração do gás subiu 0,53% em relação ao ano imediatamente anterior, para 381,2 ppm (partes por milhão). O gás carbônico é o gás que mais contribui para o efeito estufa. Esse índice está 36% acima dos níveis registrados antes da Revolução Industrial, no início do século 18.

Agora, aponta o estudo, a importância relativa do carbono para o aquecimento global também está mais alta. Os números indicam que a nova concentração contribui com 91% do calor total que foi gerado pelos gases de efeito estufa que estão na atmosfera nos últimos cinco anos, contra 87% na década passada.

A OMM também mediu as concentrações de metano e do óxido nitroso, respectivamente, os gases que estão em segundo e terceiro lugares no pódio dos que mais ajudam a aquecer todo o planeta. Enquanto o metano apresentou uma certa estabilidade, o óxido nitroso seguiu o ritmo de alta do gás carbônico. O terceiro gás que mais contribui para o efeito estufa teve um aumento de 0,25% na sua concentração, de 2005 para 2006. A taxa de 320 partes por bilhão é 19 vezes maior do que a taxa pré-Revolução Industrial. A concentração do metano foi de 1.782 partes por bilhão.

Fonte: Folha de São Paulo, Caderno Ciência, 24/11/2007.

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply