Denise

Sobre as células-tronco

 

cienciaviva.org

Dois grupos de pesquisa, um do Japão (Takahashi et al.) e um dos Estados Unidos (Yu et al.), conseguiram fazer com que células da pele de seres humanos regredissem no seu estágio de maturação e passassem a funcionar como células-tronco embrionárias. Os trabalhos foram publicados nas revistas Cell e Science. Assim, elas puderam se diferenciar novamente em outros tipos celulares. E qual a vantagem dessa nova técnica? É possível que, no futuro, essas novas células-tronco possam substituir as embrionárias, que geram tanta polêmica em todo o mundo.  

Hoje, as células-tronco emrionárias são as mais utilizadas, porque podem se diferenciar em qualquer tipo de célula do organismo, e assim possuem um alto potencial terapêutico. Hoje já existem várias pesquisas com doenças degenerativas, como o diabetes tipo 1, esclerose múltipla e mal de Parkinson. Mas sua obtenção depende de embriões que não foram utilizados, e por isso gera muita resistência, tanto da comunidade científica quanto de grupos religiosos.

Esses cientistas utilizaram células da pele e as “reprogramaram”, fazendo com que elas se tornassem células-tronco semelhantes às embrionárias. Assim, elas passaram a funcionar de forma semelhante, e chegaram a se diferenciar em células cardíacas e neuronais. Isso já tinha sido conseguido com células de camundongo, pela equipe japonesa, no ano passado, e desde então, cientistas do mundo todo tentaram repetir os resultados em humanos, porém sem sucesso. 

E como foi que eles conseguiram? Quando um organismo está se desenvolvendo, existem quatro genes específicos ativos, fazendo com que as células embrionárias se diferenciem nos diferentes tipos celulares que formam nosso corpo. Quando finalmente elas atingem esse objetivo, esses genes são desativados. Assim, os cientistas introduziram esses genes em células da pele, utilizando retrovírus. Os dois grupos usaram grupos de genes diferentes, o que torna o resultado mais interessante.

Para entender um pouco mais, você pode ver esse post aqui.

Takahashi et al., Induction of Pluripotent Stem Cells from Adult Human Fibroblasts by Defined Factors. Cell (2007).

Yu et al., Induced Pluripotent Stem Cells Lines Derived from Human Somatic Cells. Science (2007).

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply