Archive for October, 2007

 

Estudo publicado na revista Proceedings of the Royal Society alerta: as temperaturas globais previstas para os próximos séculos podem desencadear uma extinção em massa. O estudo mostra que as temperaturas atuais estariam dentro da mesma faixa das registradas em outras fases quentes da história do planeta, e nesses períodos até 95% das plantas e animais teriam morrido. 

Os cientistas analisaram a relação entre clima e espécies ao longo de 520 milhões de anos, e descobriram que houve uma maior biodiversidade durante os períodos mais frios do planeta. A pesquisa fornece a primeira clara evidência de que o clima global pode explicar variações dos registros fósseis de maneira simples e consistente. Os estudiosos concluíram que quatro dos cinco episódios de extinção em massa ocorreram em fases quentes da Terra, em que o calor e a umidade eram predominantes. Em um desses episódios, ocorrido há 251 milhões de anos, foi verificada a extinção de 95% das espécies.

Denise

Biocombustível de Alga ?!

Fonte: http://www.ib.usp.br/ecosteiros/

Na Revista SuperInteressante de Setembro saiu uma reportagem muito interessante. Segundo o jornalista Reinaldo Lopes, no futuro algas microscópicas podem virar o biocombustível número 1 do mundo, isso se alguns problemas técnicos forem resolvidos.
Uma série de empresas americanas, como a Solix Biofuels e a Solazyme, estão apostando na idéia. Algumas espécies de algas verdes são até 100 vezes mais produtivas que a soja. Elas crescem facilmente, pois precisam apenas de água, luz e gás carbônico. Além disso, precisam de uma pequena área para crescimento, o que é uma vantagem, frente às vastas lavouras de soja que hoje impulsionam o desmatamento da Floresta Amazônica.
O óleo produzido por elas pode ser transformado em biodiesel, capaz de mover todo
tipo de veículo, além de servir como combustível para aquecimento central de residências.

Mas ainda temos problemas a serem resolvidos: é preciso achar o jeito certo de controlar o crescimento das algas - se for muito rápido, umas acabam tapando a luz das outras e o processo pára. Além disso, ainda é difícil extrar o óleo das algas - é preciso usar métodos químicos. E aí entra a viabilidade financeira: se esse processo for muito caro, o combustível também vai ser.

Ah! Só pra completar: A Superinteressante é uma das primeiras revistas a liberar seu arquivo completo on-line, e por isso, meus parabéns!

Denise

O Brasil está com Dengue!

 

Imagem : Plenarinho da Camara dos Deputados

 Saiu hoje na Folha de São Paulo: Segundo o Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, nosso País vive epidemia de dengue. O número de casos só nesse ano cresceu 49,77% em relação a mesmo período de 2006. Já foram registradas 121 mortes, a maioria no Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Maranhão. No ano passado foram 77 mortes. O aumento é preocupante, uma vez que foi registrado antes da chegada do verão, período em que a doença costuma recrudescer.

Para o ministro, “essa epidemia é preocupante por vários motivos, principalmente pelas características do vírus -que tem quatro sorotipos, dos quais três já circulam no país- e pelas características do mosquito, que se adaptou inclusive a áreas em que se imaginava que não haveria adaptação, como a região serrana do Rio do Janeiro e o Sul do país”, afirmou. ”Estou mais preocupado com o número de mortes. Significa que mais de 10% das pessoas que tiveram a forma hemorrágica morreram. Isso é muito alto.”

Durante o lançamento da nova edição da campanha nacional de mobilização contra a dengue, ontem, em Belo Horizonte, o ministro disse que o Brasil vai conviver com a doença por ao menos mais dez anos. “Não vamos nos iludir, vamos conviver com essa doença por muitos e muitos anos”.

A dengue - virose que provoca febres, dores musculares e hemorragias generalizadas podendo ser fatal - não tem vacina e o seu transmissor é o mosquito Aedes aegypti, que havia sido erradicado em vários países do continente americano nas décadas de 50 e 60, retornou na década de 70 por falhas na vigilância epidemiológica e pelas mudanças sociais e ambientais propiciadas pela urbanização acelerada do período. As dificuldades de erradicar um mosquito hospedado nos domicílios, que se multiplica nos vários recipientes que podem armazenar águas de chuvas, produzidos nos lixos das cidades (garrafas, latas, pneus), têm exigido um esforço substancial do setor saúde.

E o que você pode fazer?

- Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Na hora de lavar o recipiente, passe um pano grosso ou bucha nas bordas. Substitua a água dos vasos de plantas por areia grossa umedecida.

- Alguns materiais, como copos de plástico, latas e tampas de garrafa, podem acumular água. Jogue tudo no lixo!

- Um dos lugares preferidos do mosquito são os pneus velhos. Por isso, eles devem ser guardados em lugares cobertos. Se preocupe também com caixas d´água, poços, latões e filtros, que devem ficar bem fechados, e calhas, lajes e piscinas, que devem estar sempre limpas!

http://www.eca.usp.br/nucleos/njr/lanternaverde/amazonia_devastada.jpg

 

Deu hoje, no Jornal Nacional: Os ambientalistas do Greenpeace sobrevoaram a Amazônia e divulgaram um levantamento apontando que 90% do desmatamento na nossa floresta é ilegal. 

A ONG analisou os dados de seis dos nove Estados que compõe a Amazônia: Amapá, Pará, Mato Grosso, Amazonas, Acre e Roraima . As informações do Ibama e das secretarias estaduais do Meio Ambiente dos Estados envolvidos mostram que a área da floresta permitida para desmatamento em 2006 era de 936 km quadrados. O Ministério do Meio Ambiente estima, no entanto, que 9,6 mil km quadrados foram desmatados entre agosto de 2006 a julho deste ano.

Templatesbrowser.com